Outubro Rosa: cuidar da própria saúde é uma prova de amor

O câncer de mama é o tipo mais comum de câncer em mulheres a partir dos 40 anos. De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA), cerca de 65 mil mulheres são diagnosticadas todos os anos com o câncer no país. Por isso, todos os anos é celebrada a campanha Outubro Rosa, de prevenção e conscientização ao câncer de mama, com o propósito de promover um maior acesso aos serviços de diagnóstico precoce e tratamento,  contribuindo, dessa forma, para diminuir a mortalidade pela doença. Em média, ocorrem 13 mil mortes por ano.

O movimento popular criado em 1990 nos Estados Unidos se espalhou pelo mundo, e hoje é considerado um dos maiores projetos internacionais de conscientização em saúde preventiva. No Brasil, a campanha chegou um pouco mais tarde, em 2002. Mas, desde então, passou a ser celebrada todos os anos em cidades e capitais, que iluminam seus pontos turísticos e monumentos com as cores do Outubro Rosa.

Para o presidente do Sindicato dos Comerciários, Márcio Ayer, a proposta da campanha vai muito além do mês de outubro. “Por mais que a campanha seja comemorada no mês de outubro, ela existe para lembrar que a luta contra o câncer de mama deve ser realizada sempre, todos os meses do ano”, avalia. O presidente também mencionou a importância do Sindicato no processo de conscientização das mulheres. “É papel do Sindicato informar e prezar pela saúde das comerciárias, que enfrentam jornadas excessivas de trabalho e têm pouco tempo para cuidar de si mesmas”.

O INCA, que participa da campanha desde 2010, afirma que 30% dos casos de câncer de mama poderiam ser evitados a partir da adoção de medidas simples, como manter uma alimentação saudável e praticar exercícios físicos. Mesmo o câncer não tendo uma causa única, é possível também prevenir e diminuir as chances de ter um estágio avançado da doença por meio do exame de mamografia, o principal método para detectar a doença.

Na mesma direção, Rosângela Rocha, diretora de Mulheres do Sindicato e coordenadora do Coletivo Margaridas, afirma que para as comerciárias o cenário é ainda mais difícil. “O trabalho de prevenção para as mulheres é sempre pior, porque elas precisam trabalhar e, ao mesmo tempo, fazer o trabalho doméstico, cuidar da casa e dos filhos, por isso muitas vezes sobra pouco tempo para manter os cuidados com a saúde em dia”, avalia.

O câncer de mama tem cura

É preciso ter em mente que mesmo com todo o perigo do câncer, o diagnóstico precoce eleva as chances de cura em até 95%. Os dados são do Instituto Oncoguia, e só confirmam a importância de mulheres a partir dos 40 anos fazerem o exame da mamografia pelo menos uma vez por ano. Um fator preocupante também são os mitos que cercam o tema, que provocam confusão nas mulheres e dificultam o trabalho de prevenção. O maior exemplo é a ideia de que o autoexame de palpação substitui a mamografia, fato que é uma das maiores falácias propagadas sobre o tema.

O tratamento do câncer está sempre condicionado ao estágio da doença, de suas características biológicas e das condições de saúde do paciente, como idade, menopausa e se possui comorbidades. Entre as principais formas de combate ao câncer, estão o tratamento local (cirúrgico) e o sistêmico (quimioterapia). Para ambos, a chance de cura é muito maior se a doença for constatada em fase inicial.

O Sindicato oferece atendimento em Ginecologia pelo programa Comerciário Saúde, um cartão com consultas médicas a preços populares em clínicas conveniadas. Consulte as condições para fazer parte do módulo básico individual ou familiar. Para quem é sócio do Sindicato e pretende ter acesso ao cartão, pode pagar somente o valor complementar da mensalidade.

Portanto, cuide-se! Mantenha-se em dia com a sua saúde, consulte seu médico periodicamente e pratique exercícios físicos. Prove o seu amor por você mesma.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

19 − dez =