Sindicato fiscaliza shoppings no feriado e cobra medidas de proteção

postado em: Feriados, Notícias | 0

Os direitos dos comerciários precisam ser respeitados. O Sindicato percorreu no 7 de setembro os shoppings do Rio de Janeiro para cobrar das empresas o fornecimento dos equipamentos de proteção e os direitos de quem trabalha no feriado. Foram notificadas 38 lojas por conta da falta do protetor facial (face shield).

shoppings

O Sindicato esteve no Rio Sul, Norte Shopping, Shopping Tijuca, Barra Shopping e no Madureira Shopping. A diretoria esteve nas lojas verificando o cumprimento das diversas medidas necessárias para impedir a proliferação da Covid-19, como utilização do álcool em gel, distanciamento de 1,5 m, barreiras de acrílico nos caixas, uso de máscaras e do protetor facial, como determina o acordo assinado com os patrões.

“O Sindicato esteve nos shoppings para conversar com os trabalhadores e acompanhar o cumprimento das medidas de proteção. A pandemia não acabou e os comerciários precisam se prevenir. Conseguimos através de acordo que as empresas forneçam os itens de proteção, agora estamos fiscalizando o cumprimento e notificando as lojas”, afirma Márcio Ayer, presidente do Sindicato dos Comerciários.

O Sindicato notificou 38 lojas por não terem fornecido o protetor facial aos seus funcionários, um dos itens que as lojas devem disponibilizar aos comerciários. O equipamento de proteção individual é uma das medidas necessárias para combater a proliferação do vírus, protegendo os trabalhadores, junto com a máscara e outros equipamentos. O Sindicato também fiscalizou o cumprimento dos direitos de quem trabalha no feriado, como está na Convenção Coletiva. Foram ainda notificadas outras 63 lojas por não terem feito o acordo de feriado, como determina a convenção coletiva.

Denúncias sobre a pandemia

O Sindicato tem um canal exclusivo para receber denúncias relacionadas à Covid-19. Por ele, é possível fazer denúncias por WhatsApp (21) 96465-5930 ou pelo e-mail covid19@secrj.org.br, com o anonimato garantido. Através desses contatos os comerciários poderão informar sobre óbitos, trabalhadores doentes ou com sintomas.

O Sindicato também recebe denúncias de descumprimento das normas de segurança, como aglomeração, falta do uso de máscaras e materiais de higiene, a distância entre as pessoas e assédio.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

4 × 5 =