Patrões de shoppings e lojas de rua só podem estar de brincadeira

Trabalhar oito horas no feriado, ao invés de seis, como é hoje, liberação para convocar os trabalhadores na terça-feira de carnaval e mudar a tradicional data do Dia do Comerciário em outubro. Acha que a reunião acabou por aí? Nada, além desse pacote de maldades, os patrões de shoppings e lojas de rua não trouxeram até agora nenhuma proposta de reajuste salarial. Ou seja, ZERO até o momento.

shoppings

No segmento de shoppings e lojas de rua ocorreu apenas uma primeira reunião, em 23 de maio. De lá pra cá, é só enrolação! Enquanto outros segmentos, como Fecomércio, Sindigêneros e Sindromed, já tivemos avanços, no Sindilojas nada andou.

“É no mínimo uma falta de consideração com os trabalhadores do comércio. Aprovamos nossa pauta no final de março, enviamos aos patrões e até agora nada de avanços. A família comerciária quer dignidade, quer salário justo e quer redução da jornada. Aí esses caras vem querendo aumentar as horas trabalhadas nos feriados, é uma falta de respeito sem tamanho”, afirma Márcio Ayer, presidente do Sindicato dos Comerciários.

Se não vai na negociação, vai na pressão!

“O Sindicato está aberto para negociar, mas precisa ser com seriedade. Os trabalhadores do comércio querem aumento real, não querem retrocessos. Reforçamos a importância da mobilização e vamos mostrar para eles o tamanho da nossa indignação, até que eles venham com uma proposta que realmente possa ser analisada”, finaliza Ayer.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um + oito =