Debate aponta que condições de saúde da mulher pioraram na pandemia

postado em: Notícias, Notícias de Destaque | 0

A pandemia piorou ainda mais as condições de saúde da mulher, não apenas pelo risco da contaminação pela Covid-19, mas também pelas medidas de isolamento social, pressão psicológica, no ambiente de trabalho e até mesmo pelo risco de demissão. O debate sobre a saúde da mulher, realizado de forma virtual pelo Sindicato, no dia 26/05, abordou esses e outros pontos que afetam diretamente a saúde das trabalhadoras.

O debate foi coordenado pela diretora da Mulher Trabalhadora do Sindicato, Rosangela Rocha, que lembrou da campanha de vacinação para os comerciários, que estão na linha de frente nesta pandemia: “somos prioridade na hora de abrir as lojas, mas não somos na hora da vacina”, destacou.

A diretora de Saúde e Segurança do Trabalho do Sindicato, Daniele Moretti, falou sobre a importância do sistema público de saúde no combate à pandemia e da luta para o afastamento das trabalhadoras gestantes do ambiente do trabalho: “essa já era uma pauta do Sindicato e que agora virou lei. Somos maioria no comércio e temos que lutar para garantir os direitos das trabalhadoras, mas sabemos que são muitas situações difíceis que precisamos enfrentar”.

A doutoranda em saúde pública pela Fiocruz, Katia Souto, também abordou diversas dificuldades que as trabalhadores enfrentam no trabalho e que pioraram neste momento de pandemia, tanto para quem está no mercado formal, mas principalmente para quem é informal e não tem garantido seus direitos trabalhistas e previdenciários. “São mulheres que adoecem mais, convivem com assédio moral e o feminicídio. A violência de gênero deve ser vista como problema de saúde pública e de cidadania. A gente precisa estar atento ao aumento desses casos por conta das medidas de isolamento social, como demonstram dados atuais”.

Ainda na abertura do debate o presidente do Sindicato, Márcio Ayer, parabenizou as comerciárias e a diretora Rosangela pela organização do encontro, que contou com o apoio da direção da entidade: “Temos um conjunto expressivo de trabalhadoras no comércio, com realidades distintas. A questão da saúde precisa ser apoiada e abraçada por todos nós, neste esforço coletivo para que as pautas das mulheres sejam construídas e debatidas”.

O debate também contou com a participação de diversas diretoras do Sindicato, além da vice-presidente, Ana Paula, e do presidente e da vice-presidente do Sindicato dos Comerciários da Bahia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco − três =