Sindicato e Vigilância interditam loja do Campeão

postado em: Notícias | 0
Presidente Márcio Ayer chega ao supermercado Campeão acompanhado da Vigilância Sanitária  Foto: Rafael Rodrigues

 

Um ambiente sujo, insalubre e cheio de riscos à saúde dos comerciários. Foi o que encontraram os fiscais da Vigilância Sanitária e do Sindicato dos Comerciários do Rio em loja da rede Campeão (Germans), na Tijuca, Zona Norte do Rio. O supermercado foi interditado para uma faxina geral e a empresa intimada a fazer uma série de melhorias nas condições de trabalho e higiene.

A fiscalização encontrou máquinas e câmaras frias sem dispositivos de segurança, falta de equipamentos de proteção individual (EPIs), fiação elétrica exposta, péssimas condições de ventilação e muita o sujeira. Na área dos vestiários e do refeitório dos funcionários os banheiros estavam sujos, não havia pia para lavar as mãos e quase todos os vasos, armários e portas estavam danificados. Em toda parte havia acúmulo de sujeira, entulho e fezes de roedores, sem falar no mau cheiro, barulho e forte calor na “área de descanso”, onde os trabalhadores “aproveitam” o intervalo deitados em folhas de papelão.  

Primeira ação conjunta – “Agora o Campeão vai ter que se coçar para oferecer condições dignas. Foi a primeira ação conjunta realizada entre o Sindicato e a Subsecretaria Municipal de Vigilância Sanitária. Ganhamos um forte aliado para fiscalizar o cumprimento das leis trabalhistas e das convenções coletivas. Faremos muitas outras ações como essa em todo o comércio do Rio. Tá na hora do patrão abrir o olho, pra respeitar o valor do comerciário e evitar prejuízos com interdições e multas”, avisa o presidente do Sindicato dos Comerciários do Rio, Márcio Ayer, que participou da fiscalização junto com outros diretores sindicais.

A Lei Orgânica do Município (Art. 360, inciso XIV) garante a participação dos sindicatos nas ações dos órgãos municipais para fiscalizar condições de saúde e segurança dos trabalhadores.

Além da faxina, a autuação exige do Campeão: compra de equipamentos de proteção individual (EPIs) adequados e em quantidade suficiente; climatização da padaria; restauração dos balcões de laticínios e do açougue; retirada do entulho acumulado nos fundos da loja; adaptação dos banheiros e vestiários, com chuveiros e vasos em quantidade adequada, bem como oferecer sabonete líquido e papel toalha aos funcionários; reforma da área de descanso, que deve ser limpa, climatizada e equipada com cadeiras e sofás. “Algumas exigências são de cumprimento imediato. Para outras a empresa terá prazo de 45 dias. O Sindicato vai ficar em cima e cobrar”, garante o diretor sindical Alessandro Furtado, que também acompanhou a fiscalização.

Campeão de denúncias – A rede de supermercados Germans, dona das marcas Campeão e Rede Economia, lidera desde o ano passado o ranking elaborado pelo Sindicato das empresas mais denunciadas por descumprimento das leis trabalhistas. “Justamente por isso, o Campeão é um dos que a gente mais fiscalizada. Os trabalhadores do Campeão já não aturam mais trabalhar sem respeito. O patrão tem que respeitar nosso trabalho”, acrescentou o diretor Paulo Henrique da Silva.

Se você é comerciário no Rio e sabe de algo errado na sua loja, estiver submetido a más condições de trabalho ou sofre com os abusos dos patrões, não se cale. Denuncie! Não é preciso se identificar. Pode ser pelo email denuncia@secrj.org.br, pelo telefone (21) 3266-4104, pelo aplicativo comerciariodenuncia.com.br ou pessoalmente na Sede do Sindicato (Rua André Cavalcanti, 33 – Lapa).

O diretor Alessandro Furtado inspeciona a caixa d’água. Foto: Rafael Rodrigues/ Comerciários
O presidente Márcio Ayer e a diretora Daniele Moretti durante a inspeção. Foto: Rafael Rodrigues/ Comerciários
“Área de descanso”. Foto: Rafael Rodrigues/ Comerciários
Dormindo no estoque. Foto: Rafael Rodrigues/ Comerciários
Fezes de roedores em área próxima ao refeitório dos funcionários. Foto: Rafael Rodrigues/ Comerciários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

4 × dois =