Fazenda dos Comerciários é exemplo de produção sem veneno

postado em: Benefícios, Notícias, Saúde, SECRJ, Sindicato | 0
O delegado sindical Marcelo Bizerra (à esquerda) e um funcionário do Sindicato entregam produtos da Fazenda a representante da APAE de Miguel Pereira. Imagem: Arquivo/ Comerciários

A Fazenda dos Comerciários, colônia de férias do Sindicato em Paty do Alferes, acaba de receber o certificado de produtor orgânico da ABIO (Associação de Agricultores Biológicos do Estado do Rio de Janeiro). O selo garante que legumes e verduras são produzidos sem os venenos que, infelizmente, são cada vez mais comuns nas lavouras, respeitando o meio ambiente e a saúde dos produtores e consumidores.

“Esse reconhecimento vem para dar ainda mais brilho às comemorações pelos 50 anos da Fazenda, que é fruto do trabalho e uma grande conquista da categoria. É também uma prova de que o recurso das contribuições sindicais está sendo usado com competência. Além desse cuidado, a ABIO também verificou que estamos contribuindo para o desenvolvimento sustentável da região. O que também é motivo de grande orgulho para todos nós comerciários”, comenta o presidente do Sindicato, Márcio Ayer.

Agora no verão, as hortas da Fazenda dos Comerciários têm produzido berinjela, quiabo e jiló, enquanto que no inverno aumenta a produção de repolho e brócolis. Já as hortaliças como alface, couve, salsa e cebolinha têm grande produção o ano inteiro. Além de abastecer a cozinha da própria colônia, a produção é utilizada nos refeitórios do Sindicato no Norte Shopping e no Rio Sul.

Certificação – “Nossos funcionários Seu Sebastião e Seu Janair (o mais antigo de Vila Rica) sabem de tudo. A terra também é muito boa. Aqui, o que plantar dá, e dá muito”, diz o delegado sindical Marcelo Bizerra. Este ano, os excedentes de produção foram distribuídos para escolas públicas, clínicas de reabilitação e entidades filantrópicas da região. “Como somos trabalhadores e não patrões, não vendemos nada do que sobra, dividimos solidariamente o que temos”, explica o diretor do Sindicato José Cláudio Oliveira.

A certificação é feita de forma participativa (Sistema Participativo de Garantia/ SPG), no qual agricultores, comerciantes e técnicos fiscalizam o trabalho uns dos outros. Dessa forma, todos compartilham a responsabilidade pela avaliação das regras da agricultura orgânica em cada plantação. Dentre as vantagens da agricultura orgânica sobre a agroindústria está a adoção de práticas sustentáveis em todo o processo de produção, desde a escolha do que vai ser produzido até o destino que será dado aos resíduos. Isso preserva e aumenta a diversidade biológica, reduz a contaminação do solo, ar e água, além de aumentar a fertilidade da terra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × um =