Trabalhadores no atacado de gêneros aprovam reajuste de 10%

postado em: Notícias | 0
Diretoras e diretores do Sindicato conversam com trabalhadores do ramo durante a Assembleia, que foi realizada no Ceasa, em Irajá. Foto: Wellington Santos/ Comerciários
Diretoras e diretores do Sindicato conversam com trabalhadores do ramo durante a Assembleia, que foi realizada no Ceasa, em Irajá. Foto: Wellington Santos/ Comerciários

Trabalhadoras e trabalhadores presentes à Assembleia ocorrida na tarde desta terça-feira (29/11), no Ceasa-Rio em Irajá, aprovaram a proposta negociada pelo Sindicato dos Comerciários do Rio para garantir ganhos reais nos salários aos comerciários do segmento atacadistas de gêneros alimentícios. Além do reajuste de 10%, retroativo a maio, a categoria também vai conquistar o piso unificado de R$ 1.090.

“É preciso aguardar a assinatura dos patrões para que a Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) passe a valer. Fizemos nossa parte e aprovamos o acordo junto com os trabalhadores. Agora o patrão não tem mais desculpa, tem que assinar,” destacou Márcio Ayer, presidente do Sindicato dos Comerciários do Rio, relembrando a conturbada negociação com os representantes dos patrões, que foi repleta de idas e vindas.

Prevaleceu a justiça Num processo controverso, o sindicato patronal dos atacadistas de gêneros alimentícios, que sempre foi representado pela Federação do Comércio (Fecomércio/ entidade que organiza patrões de todo o comércio), na hora de assinar o acordo resolveu rediscutir todas as cláusulas que já haviam sido negociadas e apresentar novas demandas não negociadas, mesmo após a Convenção Coletiva já ter sido devidamente negociada pela Fecomércio. O Sindicato foi à Justiça do Trabalho garantir os direitos dos trabalhadores e, em audiência realizada na tarde da última segunda-feira (28/11), cobraram dos representantes dos patrões a assinatura imediata do acordo.

A diretoria do Sindicato vai continuar pressionando e a expectativa é que a assinatura da Convenção aconteça nos próximos dias. Confira as principais conquistas da categoria na CCT:

  • Reajuste de 10% > O valor retroativo a maio será pago no ordenado de janeiro;
  • Piso salarial > O segmento não tinha piso. Garantimos essa conquista com valor de R$ 1090, bem acima do salário mínimo. O valor do retroativo de quem ganhava abaixo desse piso será R$ 65,40 por mês, a contar desde maio de 2016, e deverá ser pago imediatamente;
  • Garantia do comissionista > A partir de Dezembro, nenhum empregado poderá receber comissão inferior a R$ 1.200,00 Apesar de existirem poucos, os comissionistas do segmento vão receber o retroativo da garantia do comissionista no percentual de 10% sobre a comissão percebida nos meses a partir de maio;
  • Piso de experiência > R$ 980,00, apenas nos primeiros três meses do contrato de trabalho;
  • Lanche no feriado > As empresas que abrirem nos feriados também vão pagar lanche de R$ 17 aos sábados, com pagamento retroativo dos feriados desde novembro de 2016;
  • Inclusão de cláusulas sociais > Proibição de descontos salariais por danos e avarias em mercadorias, isonomia salarial, ajuda de custo do comissionista de R$ 26/mensais, auxílio creche de R$ 180 para empresas até 50 funcionários e R$ 200 para empresas com mais de 50 funcionários, extensão das vantagens para as relações homoafetivas, vale-transporte de acordo com o número de passagens necessário para o deslocamento casa-trabalho-casa, além de outros direitos sociais que poderão ser encontrados na Convenção Coletiva de Trabalho

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois + 5 =