Primeira vitória dos trabalhadores da Hermes

postado em: Notícias | 0
Ex-funcionários da Hermes lotaram núcleo do Sindicato em Campo Grande. Imagem: Wellington Santos/ Comerciários
Ex-funcionários da Hermes lotaram núcleo do Sindicato em Campo Grande. Imagem: Wellington Santos/ Comerciários

Depois de muita batalha, os ex-funcionários  da Hermes vão conseguir retirar o FGTS e dar entrada no Seguro Desemprego, sem abrir mão de nenhum direito. Numa assembleia histórica realizada na manhã da última sexta-feira (10), mais de 300 ex-funcionários da empresa lotaram o pátio do Núcleo do Sindicato em Campo Grande para definir os caminhos jurídicos que vão tomar para garantir seus direitos. “A luta continua, ainda precisamos manter a mobilização para garantir o recebimento das verbas rescisórias, não vamos abrir mão de nem um único centavo devido para o trabalhador,” disse o diretor Paulo Henrique, destacado pela direção do Sindicato para acompanhar a luta dos trabalhadores da Hermes.

Segundo o diretor jurídico do Sindicato, Edson Machado, a atividade foi um marco na luta dos trabalhadores que foram demitidos por empresas em processo de falência. “Durante a era Mata Roma, os trabalhadores não tinham nenhum suporte e acabavam perdendo os seus direitos. Agora foi diferente. Fomos à luta! Colocamos nosso corpo jurídico à disposição para atuar na defesa dos interesses dos demitidos da Hermes. Vamos fazer o que for possível para garantir que todos recebam o que têm direito,” garante o diretor.

Homologações começam agora  O Departamento Jurídico do Sindicato montou um esquema especial para atender até cem homologações por dia, que vai permitir o processo de homologação dos 300 presentes na assembleia até a próxima quart (15). “Uma equipe exclusiva vai cuidar para garantir que nenhum direito seja perdido,” afirma Edson, que lembra que aqueles que foram demitidos e que não estiveram na assembleia também terão suas rescisões homologadas pelo Sindicato. “Ninguém vai ficar sem homologação feita da forma correta, para garantir os direitos,” explica Edson.

A vice-presidenta do Sindicato, Alexsandra Nogueira, destacou que os trabalhadores precisam manter a mobilização para garantir o pagamento das verbas rescisórias. “Temos que estar juntos, atentos às informações que o Jurídico do Sindicato vai repassar sobre o processo de falência da empresa. Temos que pressionar e garantir que o direitos de vocês sejam respeitados,” reforça a vice-presidenta.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 × 3 =