Comerciários RJ se filia à Federação Sindical Mundial

postado em: Notícias | 0
midia ninja7
Ato Mundial Anti-imperialista. Foto: Midia Ninja

A diretoria do Sindicato dos Comerciários participou de três importantes eventos sindicais semana passada em São Paulo (SP): o II Conselho Nacional da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), à qual o Sindicato é filiado desde o início da nova gestão; o Simpósio Sindical Internacional e o Ato Mundial Anti-imperialista. Juntos, os encontros reuniram centenas de lideranças sindicais de todo o Brasil e de pelo menos 35 outros países.

Foram dias de intensos debates sobre o mundo do trabalho, a conjuntura nacional e o cenário mundial. A agenda foi aberta na terça-feira (29) com o II Conselho da CTB, que foi encerrado na quinta (1º) com a publicação da resolução política “Democracia e Desenvolvimento com valorização do trabalho”. O documento vai nortear as atividades da Central nos próximos dois anos. “A resolução está em sintonia com o momento político e econômico do país. Mostra os caminhos e traz um plano de lutas para que as entidades sindicais sejam capazes de enfrentar a conjuntura de crise defendendo os empregos e valorizando o trabalho”, explicou o presidente Márcio Ayer.

Unidade classista – A data de encerramento do Conselho coincidiu com a abertura do Simpósio Sindical Internacional, no qual o secretário-geral da Federação Sindical Mundial (FSM), George Mavrikos, conclamou à solidariedade entre os trabalhadores de todo o mundo para fazer frente à profunda crise internacional que ameaça as vidas e os empregos de milhões de pessoas. O presidente da CTB, Adilson Araújo, denunciou as ameaças imperialistas aos povos e também manifestou necessidade de unidade da classe trabalhadora. “Diante deste cenário de crise do capitalismo os trabalhadores e os movimentos sociais cobram uma resposta contundente para promover a ruptura com este sistema perverso”, disse.

No sábado (3), data em que foi comemorado o 70º aniversário da FSM, aconteceu no Vale do Anhangabaú, no Centro de São Paulo, o Ato Mundial Anti-imperialista. O protesto político-cultural reuniu representantes de centrais sindicais, sindicatos e movimentos sociais de todo o mundo. Ao final, foi lida a Carta de São Paulo, manifesto anti-imperialista em defesa das forças democráticas e da autodeterminação dos povos, que coloca o movimento sindical brasileiro na linha de frente da luta mundial dos trabalhadores contra a barbárie capitalista.

Filiação à FSM – O presidente Márcio Ayer aproveitou a oportunidade para anunciar a filiação do Sindicatos dos Comerciários do Rio à Federação Sindical Mundial: “A gente não aceita que o trabalhador pague novamente por uma crise que não é de sua responsabilidade. A FSM promove algo que a gente acredita: a união dos trabalhadores de todo o mundo contra a ofensiva neoliberal. O que é fundamental nesse momento em que a classe trabalhadora é novamente ameaçada por uma crise do capitalismo. Os trabalhadores do comércio do Rio já estavam na luta em defesa da democracia e contra a tentativa de golpe orquestrada no Brasil. A partir de agora se incorporam também à  luta anti-imperialista e pela autodeterminação dos povos no mundo”, disse.

Paralelamente, na Avenida Paulista, manifestações em defesa da Petrobras – que também comemorou seu aniversário no sábado (62 anos) – fizeram parte dos atos públicos do Dia Nacional de Luta da Frente Brasil Popular, realizados em mais de 30 cidades do país. Organizada pelas centrais sindicais e movimentos sociais de diversos setores, a Frente Brasil Popular defende a democracia, é contra a tentativa de impeachment e quer o fim das políticas econômicas de ajuste fiscal que penalizam os trabalhadores.

Sobre a FSM – Criada em outubro de 1945, em Paris, com a participação de organizações nacionais de 55 países e 20 organizações internacionais, a Federação Sindical Mundial hoje representa 80 milhões de trabalhadores e trabalhadoras em 120 países. Sua sede está localizada em Atenas, na Grécia.

midia ninja5
Ato Mundial Anti-imperialista. Foto: Midia Ninja
midia ninja4
Ato Mundial Anti-imperialista. Foto: Midia Ninja
midia ninja3
Ato Mundial Anti-imperialista. Foto: Midia Ninja
midia ninja
Ato Mundial Anti-imperialista. Foto: Midia Ninja
Filiação do SECRJ à FSM
Momento da filiação do Sindicato dos Comerciários do Rio à Federação Sindical Mundial. Na imagem, o presidente Márcio Ayer (de amarelo), tendo ao lado a diretora de Administração Ana Paula Costa, cumprimenta o presidente nacional da CTB, Adilson Araújo (de amarelo)
CTB9
Dirigentes da CTB e diretores do Sindicato dos Comerciários RJ
CTB7
Da esquerda para a direita o secretário de Finanças José Cláudio de Oliveira, o secretário geral Marcelo Black, o diretor jurídico Edson Machado e o delegado sindical Marcelo Bizerra
CTB6
Da esquerda para a direita a vice-presidente Alexsandra Nogueira e as diretoras Daniele Moretti e Sônia da Silva. Na extrema esquerda o diretor Bruno Baldez
CTB5
Em primeiro plano, à esquerda, o presidente da CTB-RJ Ronaldo Leite. Atrás dele, de camisa listrada, o diretor de Finanças José Cláudio de Oliveira
CTB4
A diretora de Finanças Ana Paula Costa na mesa do Ato Mundial Anti-Imperialista
CTB2
O presidente Márcio Ayer discursa durante o Ato Mundial Anti-Imperialista
CTB
Parte da delegação do Sindicato (a partir da esquerda): a vice-presidente Alexsandra Nogueira, o secretário de Finanças José Cláudio de Oliveira, o diretor Bruno Baldez, o secretário geral Marcelo Black (agachado), o diretor jurídico Edson Machado, o presidente Márcio Ayer e a diretora Daniele Moretti

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

dezoito − 17 =