Sindicato aperta o cerco à Via Varejo

postado em: Notícias | 0
Os diretores Vinícius de Oliveira e Douglas de Freitas na ação de coletas de assinaturas nas lojas da Via Varejo
Os diretores Vinícius de Oliveira e Douglas de Freitas na ação de coletas de assinaturas nas lojas da Via Varejo

Os diretores do Sindicato visitaram lojas da Via Varejo (Ponto Frio e Casas Bahia) em vários bairros do Rio nessa quarta-feira (16), para correr o abaixo assinado no qual os trabalhadores exigem que a empresa negocie as reivindicações urgentes apresentadas por seus funcionários. Os trabalhadores são contrários a mudanças na forma do pagamento da cesta básica, querem a substituição do plano de saúde e o aumento do tíquete refeição. De um total estimado de quatro mil funcionários da empresa no Rio, mais de mil e quinhentos já assinaram o documento.

Segundo o diretor do Sindicato Douglas de Freitas, que também é vendedor no Ponto Frio, nas lojas visitadas em Santa Cruz, Campo Grande, Guadalupe, Vicente de Carvalho, Penha e Ilha do Governador o clima entre os funcionários era de agradecimento e esperança por mudanças. “Todos querem mais dignidade e que a Via Varejo negocie com o Sindicato. Por isso o abaixo-assinado recebeu tantas adesões. Precisamos discutir demandas urgentes, como a troca do atual plano de saúde, que nem de longe atende às necessidades, e a manutenção da cesta básica, que a empresa substituiu por um tíquete de valor menor. Até então, a Via Varejo estava se negando a nos ouvir. A gente espera que o abaixo-assinado ajude a tirar a cera dos ouvidos dos representantes da empresa”, comentou o dirigente sindical.

Ratos e baratas – Não era exatamente uma ação de fiscalização, mas várias irregularidades no ambiente de trabalho foram denunciadas pelos funcionários e constatadas pelos diretores. Bastou uma rápida circulada pelas lojas para encontrar banheiros sem portas, refeitórios sem ventilação e instalações em péssimas condições de higiene, inclusive com a presença de ratos e baratas. “Quem conhece a empresa sabe que a estrutura oferecida aos funcionários é pior aqui no Rio do que em outras praças”, comentou o diretor Renato Bernardino, que também é funcionário da Via Varejo. Ele acrescentou que o Setor de Denúncia do Sindicato será acionado para verificar as lojas nas quais foram identificados problemas.

Práticas antissindicais – Além de se recusar a negociar, alguns gerentes da Via Varejo estão adotando práticas ilegais para dificultar o acesso do Sindicato aos seus funcionários e prejudicar aqueles que também são diretores sindicais. “O comerciário não deve se intimidar. A Constituição e as convenções da Organização Internacional do Trabalho (OIT) garantem aos sindicatos proteção contra quaisquer atos dos patrões que atinjam a liberdade de organização dos trabalhadores. Está na lei e é nosso direito. O Sindicato nunca vai correr desse enfrentamento, até porque a vitória só vem para aqueles que lutam”, garantiu o diretor jurídico Edson Machado.

Imagem: Leandro Ribeiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

catorze − nove =