Tratamento e prevenção da LER/DORT

postado em: Notícias, Saúde | 0

Você, que trabalha muito tempo de pé, digita o dia inteiro ou carrega peso para cima e para baixo, sabe o que é LER/ DORT? A Lesão por Esforço Repetitivo (LER) não é propriamente uma doença. É uma síndrome formada por um grupo de doenças – como tendinite, tenossinovite, bursite e outras – que afeta músculos, nervos, tendões e ossos. Esses distúrbios provocam dor e inflamação e podem reduzir a capacidade funcional da região comprometida.

2Também chamada de DORT (Distúrbio Osteomuscular Relacionado ao Trabalho), a LER é causada por fatores que vão desde os esforços repetidos continuadamente ou que exigem muita força, até vibração, postura inadequada e estresse. Alguns profissionais estão expostos a maiores riscos, como pessoas que trabalham com computadores, em linhas de montagem e de produção, músicos, esportistas e pessoas que fazem trabalhos manuais.

Os principais sintomas são dor nos membros superiores e nos dedos, dificuldade para movimentá-los, formigamento, fadiga muscular, alteração da temperatura e da sensibilidade, redução na amplitude do movimento e inflamação.

Diagnóstico e tratamento – O diagnóstico é clínico. O mais importante é determinar a causa dos sintomas para eleger o tratamento adequado. No entanto, como alerta o ortopedista do SECRJ, Dr. Edmar Rodrigues, nem toda dor é DORT. “Essas lesões são muito mascaradas e podem ser de difícil identificação. É preciso fazer exames complementares para um diagnóstico preciso. Nem toda dorzinha é LER. Muita gente vem ao consultório querendo apenas um atestado para afastamento do trabalho, mas não é assim que funciona”.

O tratamento das crises agudas de dor, conta o médico, é feito com o uso de anti-inflamatórios e repouso da área afetada – algumas vezes com a necessidade de imobilização. Nas fases mais avançadas da síndrome, o uso de corticoides na área da lesão, a fisioterapia e a intervenção cirúrgica são recursos terapêuticos que devem ser considerados.

Recomendações

Os conhecimentos da ergonomia, ciência que estuda a melhor forma de atingir e preservar o equilíbrio entre o homem, a máquina, as condições de trabalho e o ambiente, têm-se mostrado muito úteis no tratamento e prevenção da LER. Mas é preciso fazer a nossa parte:

  • Quando estiver sentado, procure manter os ombros relaxados e as costas eretas, apoiadas num encosto confortável. Cuide também para que os punhos não estejam dobrados. A cada hora, pelo menos, levante-se, ande um pouco e faça alongamentos;
  • Certifique-se de que a cadeira ou o banco em que você senta para trabalhar seja adequado ao tipo de atividade que você exerce;
  • Não imagine que a LER é uma síndrome que acomete apenas as pessoas que trabalham em determinadas funções. Quem usa o computador, por exemplo, para o lazer durante horas a fio, também está sujeito a desenvolver o distúrbio;
  • Qualquer região do corpo pode ser afetada por LER, desde que seja exposta a mecanismos de traumas contínuos. A síndrome pode se manifestar em regiões como a coluna lombar, se a pessoa carrega peso de forma inadequada, ou no tendão de Aquiles, se a pessoa caminha ou corre longas distâncias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dez + sete =