Sindicato dos Comerciários do Rio de Janeiro

Menu Menu

Sindicato dos Empregados no Comércio do Rio de Janeiro

Sindicato dos Empregados no Comércio do Rio de Janeiro

Sindicato dos Comerciários do Rio de Janeiro

Notícias

Temer sofre primeira derrota na reforma trabalhista

Reprodução da internet.

A reforma trabalhista ainda não caiu, mas tropeçou bonito e catou cavaco nesta quinta-feira (20/6), em votação na Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado. Por dez a nove, foi rejeitado o parecer do relator Ricardo Ferraço (PSDB-ES), que pedia a aprovação sem modificações do texto enviado por Temer ao Congresso. Com a rejeição do relatório, foi aprovado texto alternativo do senador Paulo Paim (PT-RS) que pede o arquivamento da matéria. A CAS foi a segunda comissão a analisar o projeto. Na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), já havia sido aprovado por maioria.

A próxima votação deverá acontecer na quarta-feira (28/6) da semana que vem na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). Caso a maioria dos senadores da CCJ vote contra a reforma, o projeto será arquivado. Caso a Comissão derrube o texto de Paim e restabeleça o relatório de Ferraço, a proposta seguirá ao plenário do Senado para votação final.

O resultado representa uma derrota para o governo ilegítimo de Michel Temer, que vê na reforma trabalhista uma forma de garantir o lucro dos patrões, banqueiros e ricaços tirando os direitos dos nós trabalhadores. Um dos principais mudanças é que direitos poderão ser negociados entre patrões e empregados, sem a proteção da lei, o chamado “negociado sobre o legislado”. A proposta de reforma também esvazia o papel dos sindicatos e da Justiça do Trabalho. Como você pode ver, a reforma atinge as três pernas que sustentam o equilíbrio entre patrões e empregados: as leis trabalhistas, a Justiça do Trabalho e a negociação coletiva.

Greve geral “Do jeito como está, essa reforma não vai trazer nenhum avanço das leis trabalhistas, mas simplesmente legalizar as fraudes dos patrões. A bancada de parlamentares no Congresso que está do no lado dos trabalhadores está fazendo a parte dela, criando todos os obstáculos possíveis para barrar os planos do governo golpista. Os trabalhadores também vão fazer sua parte, participando das próximas mobilizações populares contra a reformas e engrossando a grande GREVE GERAL do próximo dia 30/6. Lute agora, ou fique sem direitos para sempre!”, convoca o presidente do Sindicato dos Comerciários do Rio, Márcio Ayer.