Sindicato dos Comerciários do Rio de Janeiro

Menu Menu

Sindicato dos Empregados no Comércio do Rio de Janeiro

Sindicato dos Empregados no Comércio do Rio de Janeiro

Sindicato dos Comerciários do Rio de Janeiro

Notícias

Sindicato garante lojas fechadas no Ano Novo

Diretor José Claudio fecha loja em funcionamento no feriado

O Sindicato dos Comerciários do Rio fez valer os direitos dos trabalhadores e garantiu a não abertura do comércio nos dias 25 de dezembro e 1º de janeiro. Com exceção de poucos estabelecimentos – a maioria notificada e multada pelas equipes de fiscalização do Sindicato que percorreram a cidade – as lojas permaneceram fechadas e respeitaram a folga dos trabalhadores.

No caso das lojas em aeroportos e rodoviárias, que foram mal orientadas a abrir nestas datas pela entidade patronal SindiLojas, o Sindicato obteve liminar na Justiça para fazer valer as Convenções Coletivas de Trabalho. As CCTs proíbem o trabalho no Natal, no Ano Novo e também no Dia do Comerciário, comemorado no Rio na terceira segunda-feira de outubro.   

“Cada vez mais os comerciários percebem que vale a pena lutar junto com Sindicato pelos direitos da categoria. Graças às denúncias feitas pelos trabalhadores, ao trabalho político de nossa diretoria e à atuação do nosso Departamento Jurídico, os comerciários puderam curtir as festas em casa, como há muito tempo não acontecia”, comemora o presidente do Sindicato, Márcio Ayer. Se você é comerciário e foi obrigado a trabalhar no Natal ou no Ano Novo, ainda dá tempo de denunciar. De preferência, envie pelo email denuncia@secrj.org.br uma fotografia de um cupom fiscal emitido pela loja nestas datas. O documento servirá de prova em possíveis ações judiciais. Mais orientações pelo telefone (21) 3266-4104. Denuncie também pelo www.comerciariodenuncia.org.br

Free shop A empresa Dufry (que opera o free shop do Aeroporto Internacional Tom Jobim) e seus trabalhadores manifestaram ao Sindicato o interesse de abrir no dia 1º de janeiro, de olho na alta de vendas. Para fechar um Acordo Coletivo (ACT) que viabilizasse a abertura, a empresa começou oferecendo 100% de sobre as horas trabalhadas. O Sindicato negou, pressionou a Dufry até chegar a um valor que vale a pena para os comerciários. Assim, o ACT garantiu aqueles escalados entre 18h do dia 31 e meia-noite do dia 1º de janeiro o pagamento de adicional de 200% sobre as horas trabalhadas, acréscimo de 25% sobre as comissões e duas folgas, sendo a primeira em até 30 dias e a outra na Segunda-feira de Carnaval.