Sindicato dos Comerciários do Rio de Janeiro

Menu Menu

Sindicato dos Empregados no Comércio do Rio de Janeiro

Sindicato dos Empregados no Comércio do Rio de Janeiro

Sindicato dos Comerciários do Rio de Janeiro

Notícias

Sindicato faz homologações dos comerciários dos supermercados 2001

A luta só começou. O Sindicato dos Comerciários do Rio realizou as homologações com ressalvas dos comerciários dos supermercados 2001. Assim eles poderão fazer o saque do FGTS e dar entrada no seguro desemprego.

“Esse é apenas o primeiro passo. Garantir que esses 296 trabalhadores possam sacar o que tem de FGTS e dar entrada no seguro desemprego. O Sindicato já está cobrando o pagamento de todos os direitos que eles têm, seja através dos donos do 2001 ou da nova empresa que pode adquirir os supermercados. Muitos estão com dificuldades financeiras, mas com o FGTS na mão poderão ter um fim de ano um pouco mais tranquilo”, declara Márcio Ayer, presidente do Sindicato dos Comerciários do Rio.

Os trabalhadores do 2001 estão sem receber os salários de outubro e novembro. O Sindicato também cobrará o pagamento do 13º, a multa de 40% do FGTS, férias e demais direitos.

Campanha de Solidariedade continua

O Sindicato dos Comerciários do Rio continua com a campanha de solidariedade aos trabalhadores do 2001. Entre os 296 trabalhadores, 38 estão com a situação ainda pior, pois não estavam tendo o seu FGTS depositado. A empresa fez agora um depósito de apenas R$ 100 para cada um, de forma simbólica para que eles possam dar entrada no seguro desemprego.

Para que estes 38 trabalhadores não tenham um fim de ano ainda pior, o Sindicato, junto com os demais funcionários do 2001, quer conseguir recursos e alimentos para estes trabalhadores. Para isso, disponibilizou uma conta bancária para receber doações. Todo o dinheiro arrecadado será dividido igualmente entre esses trabalhadores. A conta bancária é: Sindicato dos Empregados do Comércio do Rio de Janeiro – CNPJ 33.644.360/0001-85 / Caixa Econômica / AG 0542 / C/C 775577-7.

Leia também: Ministério Público do Trabalho cobra posição da empresa que sucederia os Supermercados 2001