Sindicato dos Comerciários do Rio de Janeiro

Menu Menu

Sindicato dos Empregados no Comércio do Rio de Janeiro

Sindicato dos Empregados no Comércio do Rio de Janeiro

Sindicato dos Comerciários do Rio de Janeiro

Notícias

Sindicato dá o papo em Miguel Pereira

Diretores do Sindicato e comerciários de Miguel Pereira e Paty do Alferes, na reunião realizada no Clube Estrela. Foto: Divulgação/ Comerciários

O Sindicato dos Comerciários realizou na noite desta terça-feira (11/4) a roda de conversa “Dá o papo” voltada aos comerciários de Miguel Pereira e Paty do Alferes. Os trabalhadores puderam tirar dúvidas sobre as Convenções Coletivas e dar sugestões para a Campanha Salarial deste ano. Subiram a serra para participar o presidente Márcio Ayer e outros oito membros da diretoria, além do delegado sindical Marcelo Bizerra, representante dos Comerciários na região. O encontro aconteceu no Clube Estrela, no centro de Miguel Pereira.

No bate papo inicial, os comerciários se mostraram indignados com a ameaça aos direitos trabalhistas imposta pela agenda do governo golpista de Michel Temer. Eles acreditam que as reformas da Previdência e trabalhista vão prejudicar muito os trabalhadores e seus filhos. Dentres as principais ameaças estão as mudanças trazidas pela liberação geral da terceirização, aumento da idade e tempo de contribuição para se aposentar, fim das férias, do 13ᵒ salário e de outros direitos trabalhistas. A avaliação geral é de que só a luta da classe trabalhadora, mobilizada em torno dos sindicatos, poderá impedir que a conta da crise seja paga com o fim de direitos conquistados com muito sacrifício pelos mais pobres. Uma enorme injustiça, pois, afinal, essa crise foi criada pela irresponsabilidade dos ricos.

Na sequência, foi realizada uma dinâmica de grupo entre os trabalhadores, para eleger prioridades e estratégias de luta para a Campanha. Dentre elas está o aumento da fiscalização, palestras sobre o andamento das negociações e passeatas para animar os comerciários a participar. “Só vamos conquistar melhores salários, mais respeito e evitar a perda de direitos com a participação da categoria”, concordou o presidente Márcio Ayer