Sindicato dos Comerciários do Rio de Janeiro

Menu Menu

Sindicato dos Empregados no Comércio do Rio de Janeiro

Sindicato dos Empregados no Comércio do Rio de Janeiro

Sindicato dos Comerciários do Rio de Janeiro

Notícias

Sindicato apoia Frente Parlamentar do Varejo

A Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) lançou na última quarta-feira (18/10) a Frente Parlamentar em Defesa do Setor Varejista. A proposta da Frente é se tornar um instrumento de mediação e pressão política do comércio junto ao governo estadual, às prefeituras e o Congresso Nacional para aprimorar a legislação relacionada ao setor e, dessa forma, possibilitar o seu desenvolvimento.

O Sindicato dos Comerciários do Rio participou do lançamento, realizado no auditório da Confederação Nacional do Comércio. A iniciativa é também apoiada por várias entidades patronais do setor. O grupo é presidido pelo deputado Waldeck Carneiro (PT), que também lidera os trabalhos da Comissão de Economia, Indústria e Comércio da Alerj.

Participação dos trabalhadores – “Através da Frente pretendemos assegurar a aprovação de um plano nacional do varejo, que é o segmento que mais emprega no Brasil”, destacou o deputado. “Nós negociamos no Rio com 27 sindicatos de empregadores. Nas mesas de negociação, cada qual defende os interesses do seu setor. Em momentos como esse, no entanto, em que enfrentamos dificuldades econômicas que afetam a todos, torna-se necessário encontrar convergências e unir esforços para enfrentar os desafios colocados. Um exemplo é a segurança pública. No Rio, virou rotina o assalto a lojas e shopping centers. Mas para o Sindicato dos Comerciários a Frente é, sobretudo, um espaço para o lado do trabalhador ser levado em conta na hora de se pensar políticas públicas para o setor”, ressaltou o presidente do Sindicato dos Comerciários do Rio, Márcio Ayer. 

Entrevista > deputado Waldeck Carneiro, presidente da Frente Parlamentar em Defesa do Setor Varejista

Quais são os principais objetivos da Frente Parlamentar?

O varejo é o setor que mais emprega no Brasil, perde apenas para o serviço público. Estamos falando de uma área da economia muito importante para a geração de trabalho e renda em todo o território nacional. É ainda um setor que dá oportunidades de primeiro emprego a pessoas que estão iniciando no mercado de trabalho formal, sem qualquer experiência, o que é difícil em muitos outros setores da economia. (…) Por todas estas razões, é um setor que merece toda atenção por parte do Poder Público.  

Qual é a importância da participação dos trabalhadores do comércio neste fórum?

É importante a participação de todos os agentes que constroem o setor varejista no Rio de Janeiro. Esses agentes são os empreendedores, os empregadores, os lojistas, mas também os trabalhadores e trabalhadoras do setor. A Frente Parlamentar é um agente do Poder Legislativo, que deve e vai dialogar com todos.

As entidades patronais aceitaram numa boa a participação dos trabalhadores?

No ambiente democrático os atores têm que dialogar entre si, mesmo que tenham diferenças sobre certas posições, mesmo que sua pautas nem sempre sejam confluentes. É de bom tom na democracia que os atores dialoguem. No caso do Poder Legislativo, não estamos preocupados com quem aceita quem. A Frente Parlamentar vai dialogar com todo mundo. Seja com a pauta de quem empreende, e tem a ver com questão tributária, com questão de alvará. Seja com a pauta dos trabalhadores, que tem a ver com as condições objetivas de trabalho, carga horária e direitos. Vemos o setor do varejo a partir do Poder Legislativo. Vamos estimular o máximo possível que todos dialoguem, inclusive na diferença. Se for o caso, a Frente Parlamentar vai se colocar à disposição para mediar relações que eventualmente estejam tensas, se for do interesse das partes.  

Quais são as pautas de interesse comum entre comerciários e lojistas?

É de interesse comum, por exemplo, a questão da mobilidade urbana, sobretudo na região metropolitana do Rio de Janeiro, que é provavelmente a mais complexa do país. Somos o estado mais metropolizado. Aqui estão concentrados 75% da população fluminense. Consequentemente, a prestação de serviços é muito desafiada, em especial os serviços essenciais à população como o transporte público. Portanto, melhorar a mobilidade urbana na região metropolitana interessa tanto aos patrões quanto aos empregados do setor do varejo. Também interessa a ambos a pauta da segurança pública. É muito importante que os estados e municípios, com políticas de segurança preventivas, possam melhorar as condições de funcionamento para os lojistas, e as condições de chegada e saída do trabalho para os comerciários. Que isso possa acontecer em um ambiente em que sua vida não esteja sob risco.