Sindicato dos Comerciários do Rio de Janeiro

Menu Menu

Sindicato dos Empregados no Comércio do Rio de Janeiro

Sindicato dos Empregados no Comércio do Rio de Janeiro

Sindicato dos Comerciários do Rio de Janeiro

Notícias

Saiu o aumento nas lojas de eletro

Presidente Márcio Ayer assina CCT com Antônio Florêncio, presidente do Simerj e garante ganho real à categoria | Foto: Dara Bandeira/Comerciários

 

O Sindicato do Comércio Varejista de Material Eletroeletrônico (Simerj) enfim aceitou as propostas dos comerciários e assinaram as convenções coletivas de trabalho (CCTs) para o biênio 2017/2018. As CCTs foram registradas pelo Sindicato dos Comerciários do Rio nesta segunda-feira (11/9) no Ministério do Trabalho. Garantem reajustes de 4% nos salários, 5,5% no piso salarial e 5,4% na garantia mínima dos vendedores comissionistas, percentuais acima da inflação, que ficou em 3,99% (INPC/ IBGE). As condições aceitas pelo Simerj (que representa empresas como Casas Bahia, Ricardo Eletro e Ponto Frio) são as mesmas daquelas acordadas na semana passada com o segmento lojista (Sindilojas).

“Foi um bom resultado quando consideradas as condições difíceis da economia, incluindo o desemprego em alta e as vendas em queda do comércio varejista. Buscamos ao máximo proteger os trabalhadores dos efeitos da reforma trabalhista e conseguimos evitar perdas salariais com reajuste acima da inflação”, comemorou o presidente do Sindicato dos Comerciários, Márcio Ayer.  

Conquistamos na base do Simerj:

  • manutenção de todos os direitos previstos nas convenções do ano passado;
  • reajuste do piso salarial de R$ 1.090 para R$ 1.150 (5,5%);
  • aumento da garantia mínima dos vendedores comissionistas de R$ 1.200 para R$ 1.265 (5,4%);
  • reajuste em 4% dos salários;
  • reajuste do piso de experiência de R$ 980 para R$ 1.034 (5,5%);
  • reajuste do lanche garantido para quem trabalha aos sábados (após as 14h), domingos e feriados de R$ 17 para R$ 18 (6%).

Ganho real – Os reajustes terão vigência retroativa à data-base, em 12 de maio, e os valores retroativos poderão ser pagos em duas vezes, até o salário de outubro. Na comparação, considerada a inflação, os 4% de agora se equiparam aos 10% de 2016. Os menores salários este ano terão ganho real (acima da inflação) de 1,45%, próximo ao conquistado ano passado, que foi de 1,68%.

As CCTs assinadas com o Simerj também possuem cláusulas que exigem oferta de água potável aos trabalhadores e melhoria das condições de higiene do local de trabalho. Fixam ainda as regras para as jornadas aos domingos e feriados e banco de horas.

Supermercados – As negociações com os supermercados estão paradas há meses, por culpa do Sind$uper. O falso sindicato, criado por alguns patrões e sindicalistas de aluguel, tenta aprovar um acordo secreto escrito por essas empresas em assembleias de difícil acesso para os trabalhadores. O Sindicato dos Comerciários, verdadeiro representante dos trabalhadores de supermercados, luta na Justiça, no Ministério do Trabalho e nas ruas para derrotar o pirata Sind$uper e chamar os patrões para negociar um acordo verdadeiro e justo. Os trabalhadores de supermercados não aguentam mais esperar pelo reajuste! Vamos todos nos unir em torno do verdadeiro Sindicato para fazer com que as empresas escutem nossa voz: NEGOCIA, PATRÃO!