Sindicato dos Comerciários do Rio de Janeiro

Menu Menu

Sindicato dos Empregados no Comércio do Rio de Janeiro

Sindicato dos Empregados no Comércio do Rio de Janeiro

Sindicato dos Comerciários do Rio de Janeiro

Notícias

Nova rodada de negociação com o Zona Sul

Imagem: reprodução da internet

A diretoria do Sindicato dos Comerciários do Rio e representantes dos supermercados Zona Sul vêm realizando reuniões periódicas para tratar das denúncias feitas contra a empresa por seus funcionários. O último encontro aconteceu nessa quarta-feira (12/4), na sede do Sindicato, tendo como pauta questões como a escala de folgas 6 x 1 e a jornada de domingo dos funcionários da rede.

Em relação à escala de folgas, o Zona Sul diz que, após cobranças feitas pelo Sindicato e pelo Ministério Público do Trabalho, vem se ajustando para conceder à risca o descanso semanal remunerado de todos os funcionários. Diz a empresa que agora, quando o funcionário é escalado para trabalhar no domingo é concedida uma folga no domingo anterior e outra na semana seguinte, de modo a garantir que o funcionário não tenha que trabalhar sete dias seguidos.

O principal impasse, no entanto, diz respeito à jornada aos domingos. O Sindicato defende que a mesma nesses dias seja de, no máximo, oito horas. Por seu lado, a empresa entende que tem o direito de exigir duas horas extras, desde que pague o adicional de 100% e não as considere no cálculo do banco de horas. De qualquer forma, o Zona Sul diz que já reduziu as jornadas dominicais. Estaria exigindo no máximo uma hora extra de seus funcionários, mas não de todos nem em todos os domingos, e que trabalha para reduzir ainda mais, até o limite de oito horas.

Mais acesso às lojas – Outras questões pontuais foram discutidas na reunião, com o compromisso de resolução por parte da empresa, como denúncias de irregularidades no controle de ponto e concessão de folgas, nas eleições das comissões internas de prevenção de acidentes (CIPAs), além de desvios de função e assédio moral. “Vamos reduzir a incidência desses problemas se o Zona Sul facilitar a entrada do Sindicato em suas unidades. Pois, dessa forma, teremos melhores condições para fiscalizar, descartar possíveis denúncias infundadas e esclarecer cada vez mais os trabalhadores sobre seus direitos frente a empresa”, cobrou o diretor jurídico Edson Machado. Os representantes do Zona Sul se comprometeram a levar a questão à diretoria da empresa.

A próxima reunião com o Zona Sul foi marcada para a segunda quinzena de maio. Nesse intervalo, o Sindicato já avisou que fará novas ações de fiscalização para verificar se os acordos encaminhados estão sendo realmente cumpridos pela empresa. Eles têm se mostrado dispostos a cooperar e certamente fica mais fácil resolver os problemas quando há diálogo com a empresa, mas a gente vai continuar em cima, fiscalizando as lojas e colhendo denúncias de trabalhadores”, comentou o presidente do Sindicato, Márcio Ayer. O presidente acrescentou: “Não tem mágica. A única forma do trabalhador se defender de abusos, fazer valer seus direitos e ampliar conquistas é fortalecendo o seu Sindicato. Quanto mais sócios e mais participação, mais conquistas e mais respeito virão”.