Sindicato dos Comerciários do Rio de Janeiro

Menu Menu

Sindicato dos Empregados no Comércio do Rio de Janeiro

Sindicato dos Empregados no Comércio do Rio de Janeiro

Sindicato dos Comerciários do Rio de Janeiro

Notícias

Ministério Público do Trabalho cobra posição da empresa que sucederia os Supermercados 2001

Na reunião realizada no Ministério Público do Trabalho, a procuradora Samira Torres Shaat cobrou uma posição do representante da empresa que compraria os Supermercados 2001.
 
Muitos comerciários do 2001 chegaram a trabalhar durante três dias para essa nova empresa, o que já caracterizaria a sucessão da atividade econômica dos Supermercados 2001 para o novo mercado. Apesar disso, o advogado dessa empresa informou que a entrada da nova empresa no negócio está suspensa, mas que ainda seria possível se concretizar. A procuradora, então, deu prazo até a próxima quinta-feira, dia 19, para uma resposta dos representantes.
 
A nova empresa, em caso de compra do supermercado, assumiria o compromisso de pagar os atrasados, como salário de outubro e novembro, além de 13º, multa de 40% do FGTS, férias e demais direitos.
 
“Esperamos uma resposta positiva para os trabalhadores, para que todos recebam seus direitos, tanto para os que vão continuar no novo mercado, quanto para aqueles que estarão em outro emprego. Vamos cobrar dos patrões para que tudo seja pago a eles. Esse é um compromisso nosso”, afirma Márcio Ayer, presidente do Sindicato dos Comerciários do Rio.
 
Homologação no Sindicato
 
Como ainda está suspensa a compra do supermercado, o que acarretaria a manutenção dos funcionários do 2001, e os compromissos dos empregados não podem esperar sua concretização, será feita, nesta sexta-feira, dia 13, a partir das 9h, na sede do Sindicato, a homologação com ressalvas dos trabalhadores, para que cada um possa sacar o que tiver de FGTS e dar entrada no seguro desemprego.
 
Campanha de Solidariedade
 
O Sindicato dos Comerciários do Rio lançou uma campanha de solidariedade aos trabalhadores do 2001. O supermercado demitiu 296 trabalhadores, deixando todos com salários atrasados e sem pagar seus direitos trabalhistas. 
 
Porém, a situação é ainda pior para 38 comerciários, que estão com o seu FGTS zerado. A empresa depositou apenas R$ 100 para cada um, de forma simbólica para que eles possam dar entrada no seguro desemprego.
 
Para que estes 38 trabalhadores não tenham um fim de ano ainda pior, o Sindicato, junto com os demais funcionários, quer conseguir recursos e alimentos para estes trabalhadores. Para isso, disponibilizou uma conta bancária para receber doações. Todo o dinheiro arrecadado será dividido igualmente entre esses trabalhadores. A conta bancária é: Sindicato dos Empregados do Comércio do Rio de Janeiro – CNPJ 33.644.360/0001-85 / Caixa Econômica / AG 0542 / C/C 775577-7.