Sindicato dos Comerciários do Rio de Janeiro

Menu Menu

Sindicato dos Empregados no Comércio do Rio de Janeiro

Sindicato dos Empregados no Comércio do Rio de Janeiro

Sindicato dos Comerciários do Rio de Janeiro

Notícias

Finalizadas as negociações coletivas com Sindilojas, Simerj, Sindimóveis e Sindifer

cartaNão tem mistério: o Sindicato é a melhor forma dos trabalhadores defenderem e aumentarem seus direitos e benefícios. O resto é prejuízo. Ano passado, as comerciárias e comerciários se juntaram e botaram pra correr uma família que sugou nosso Sindicato por 48 anos. Aos poucos, melhoramos nossos serviços e benefícios, além de unir cada vez mais trabalhadores na luta por + salários + direitos e + respeito. Esse ano, botamos pressão nos patrões e conquistamos ganhos reais nos salários (acima da inflação), dentre outras vitórias. Mas isso foi só começo. Juntos, ainda temos muito trabalho pela frente para:

  • Defender os empregos no comércio;
  • Valorizar o comerciário, com mais aumentos e melhores condições de trabalho;
  • Conquistar benefícios como plano de saúde e tíquete refeição;
  • Apertar a fiscalização sobre empresas que desrespeitam nossos direitos;
  • Continuar aplicando o dinheiro das nossas contribuições no que interessa: a defesa dos interesses dos trabalhadores.

O Sindicato também transforma essas contribuições em outros direitos e benefícios, tais como:

  • Atendimento jurídico gratuito e de qualidade para todos os comerciários;
  • Atendimento médico e odontológico para sócios e suas famílias;
  • Colônia de Férias com preços especiais para sócios e familiares;
  • Convênios com descontos educacionais para sócios e seus dependentes;
  • Restaurantes no Rio Sul e Norte Shopping com preços de dar água na boca.

O Sindicato dos Comerciários do Rio informa que foi feito nessa quarta-feira (21) o depósito no Ministério do Trabalho e Previdência Social (MTPS) das Convenções Coletivas de Trabalho (CCTs) para o biênio 2016/2017 firmadas com o Sindicato dos Lojistas do Comércio do Município do Rio de Janeiro (Sindilojas), o Sindicato do Comércio Varejista de Material Elétrico, Eletrônicos e Eletrodomésticos do Rio de Janeiro (Simerj), o Sindicato do Comércio Varejista de Móveis e Decoração do Município do Rio de Janeiro (Sindimóveis) e o Sindicato do Comércio Varejista de Maquinismos, Ferragens, Tintas, Louças  e Vidros em Geral do Município do Rio de Janeiro (Sindifer). O ato encerra as negociações coletivas com os sindicatos patronais destes segmentos do comércio do Rio.

Carta de oposição – A vida não tá fácil pra ninguém e qualquer grana ajuda a fechar o mês, mas você também já percebeu que a Contribuição Assistencial, aprovada junto com as CCTs, é um investimento para uma vida melhor. Sem ela, perdemos força para resolver, de verdade, os nossos perrengues. Todos nós queremos uma entidade de representação forte e combativa. Ao apresentar a carta de oposição, você deixa de contribuir com lutas que são travadas em nome de todas as comerciárias e comerciárias, em seu nome, inclusive. Acha justo? Pensa melhor. Sem participação, não tem conquista!

Se ainda assim você quiser se opor à Contribuição Assistencial, paciência. Fica aberto o prazo, a contar de 22 de setembro até 04 de outubro de 2016, nos termos da norma coletiva, para apresentação de carta de próprio punho, entregue pessoalmente, na sede do Sindicato (R. André Cavalcanti, 33 – Lapa) ou no Núcleo de Assistência Sindical de Campo Grande (R. Iaçu, 74 ­ Campo Grande), opondo­-se ao desconto da referida contribuição. O horário de funcionamento será das 9h às 16h, de segunda à sexta­-feira. Os comerciários devem portar carteira de trabalho ou identidade, além do contracheque do mês de agosto de 2016. Frisa­-se que o incentivo patronal à apresentação de carta de oposição é prática antissindical: nenhuma empresa pode obrigar seus funcionários a apresentar a carta de oposição. Informamos ainda que, findo o prazo acima, não será aceita qualquer oposição ao desconto mencionado.

Cabe ainda esclarecer que a Contribuição Assistencial em sete parcelas nos meses de outubro de 2016 (parcela no valor de R$ 26,40), novembro de 2016 (parcela no valor de R$ 26,40), dezembro de 2016 (parcela no valor de R$ 15,84), janeiro de 2017 (parcela no valor de R$ 15,84), fevereiro de 2017 (parcela no valor de R$ 15,84), abril de 2017 (parcela no valor de R$ 15,84) e maio de 2017 (parcela no valor de R$ 15,84).