Sindicato dos Comerciários do Rio de Janeiro

Menu Menu

Sindicato dos Empregados no Comércio do Rio de Janeiro

Sindicato dos Empregados no Comércio do Rio de Janeiro

Sindicato dos Comerciários do Rio de Janeiro

Notícias

Comerciários de supermercados aprovam reajuste

Os trabalhadores dos supermercados e hortifrutis aprovaram, em assembleia, o reajuste salarial de 5,07% (inflação do período), que será pago em outubro, 2,5% retroativo também pago no mesmo mês e R$ 100 de abono a ser pago uma única vez até abril de 2020. Já os comerciários de shoppings, lojas de rua e demais segmentos rejeitaram as propostas feitas pelo Sindilojas e a Fecomércio.

“Foi um importante avanço na negociação com o patronal de supermercados e hortifrutis, que começou com uma proposta que sequer cobria a inflação do período, mas que o Sindicato rejeitou ainda na mesa de negociação”, destacou Márcio Ayer, presidente do Sindicato dos Comerciários do Rio, durante a assembleia realizada nesta terça (20) no auditório do Sindicato.  

Rejeição

Por outro lado, com os patrões dos outros segmentos do comércio, representado pelo Sindilojas e a Fecomércio, as discussões não avançaram de forma satisfatória, com recuo nas negociações sem  dar um aumento que pelo menos contemple a inflação.

Na assembleia, os trabalhadores rejeitaram a proposta do segmento representado pela Fecomércio, que ofereceu o reajuste nos salários de 5,07% no piso da categoria e 3% para quem ganha acima, com o retroativo de 2,5%, mas apenas 3% nas cláusulas econômicas e abono de R$ 70,00.

Os trabalhadores também recusaram a proposta do sindicato patronal de lojas de rua e shoppings (Sindilojas), que apresentou o reajuste da inflação (5,07%) no lanche e o mesmo índice para quem ganha o piso, além de 3% de aumento para quem ganha acima do piso e 0% nas demais cláusulas econômicas.

Contraproposta

Para continuar negociando com a Fecomércio e o Sindilojas, os trabalhadores aprovaram uma contraproposta, autorizando o Sindicato a fechar o acordo no caso de chegar na inflação. Mas para obter essa conquista só com muita luta e mobilização dos comerciários.

“Agora, só com muita luta vamos avançar nesta proposta. Os patrões querem jogar duro e precisamos estar mobilizados. Vamos levar esse resultado aos sindicatos patronais. Não podemos aceitar perdas salariais, rebaixando os salários dos trabalhadores. Os comerciários precisam ser valorizados e um reajuste que não traga perdas é fundamental”, declarou o presidente do Sindicato dos Comerciários do Rio, Márcio Ayer.