Sindicato dos Comerciários do Rio de Janeiro

Menu Menu

Sindicato dos Empregados no Comércio do Rio de Janeiro

Sindicato dos Empregados no Comércio do Rio de Janeiro

Sindicato dos Comerciários do Rio de Janeiro

Notícias

Pode comemorar os 10%! Supermercados assinam Convenção

Cercado por diretoras e diretores do Sindicato, o presidente Márcio Ayer segura a convenção coletiva assinada com o sindicato dos donos de supermercados. Vitória na primeira Campanha Salarial da nova gestão. Imagem: Rafael Rodrigues/ Comerciários

Cercado por diretoras e diretores do Sindicato, o presidente Márcio Ayer segura a convenção coletiva assinada com o sindicato dos donos de supermercados. Vitória na primeira Campanha Salarial da nova gestão. Imagem: Rafael Rodrigues/ Comerciários

Depois de muita mobilização das comerciárias e comerciários junto com o Sindicato, finalmente os patrões assinaram a Convenção Coletiva para quem trabalha em supermercados, hortifrutis, mercearias e similares. A assinatura do documento aconteceu na tarde dessa terça-feira (19), na sede do Sindicato.

Conquistamos 10% de aumento nos salários e nos pisos, dentre outras avanços. “Só que o Sindicato não vai parar! As fiscalizações e as lutas vão continuar, porque ainda há muita exploração nos supermercados. E ainda faltam os trabalhadores das lojas de shopping e rua. Os patrões continuam jogando duro, mas nós também não estamos de brincadeira. A pressão vai continuar!”, detona o presidente do Sindicato dos Comerciários do Rio, Márcio Ayer.

Conquistas – Nos supermercados, o aumento de 10% deverá ser pago já no salário do mês de agosto, em parcela única. Os comerciários deverão receber, de forma retroativa, o aumento referente aos meses de maio, junho, julho e agosto. Para aqueles que já receberam algum aumento, a diferença referente aos mesmos meses também deverá ser paga de forma retroativa.

Os pisos salariais também foram reajustados, mas só passam a valer após a homologação da convenção coletiva pelo Ministério do Trabalho, o que deve acontecer nas próximas semanas. O piso vai passar para R$1.080 (↑ 10,09%) e o piso de experiência para R$965 (↑ 12,73%). O valor do quebra de caixa passou a ser de R$ 64,00 (↑ 10,34%). Outros benefícios conquistados, como a estabilidade de 18 meses antes da aposentadoria (para quem tem pelo menos dez anos de empresa) e a redução do período de compensação do Banco de Horas de 180 para 120 dias também aguardam a homologação pelo Ministério do Trabalho.