Sindicato dos Comerciários do Rio de Janeiro

Menu Menu

Sindicato dos Empregados no Comércio do Rio de Janeiro

Sindicato dos Empregados no Comércio do Rio de Janeiro

Sindicato dos Comerciários do Rio de Janeiro

Notícias

Sindicato dos Comerciário: 5 anos de luta

“Sem sombra de dúvidas a retomada do Sindicato pelos trabalhadores do comércio foi o maior feito da nossa categoria em anos. Não bastava apenas mudar a diretoria, era necessário criar uma nova prática de luta por nossos direitos e recriar um novo elo entre trabalhadores e o Sindicato. No começo foi grande desafio para nossa diretoria sem muita experiência, mas que com muita coragem soube superar os obstáculos. Hoje não temos dúvidas que o Sindicato faz parte do cotidiano de cada trabalhador do comércio. No passado não se ouvia falar de lutas em nossa categoria e tão pouco de conquistas, agora elas são uma realidade. A cada dia mais e mais comerciários vão se beneficiando com o nosso trabalho, com isso nossa entidade cresce e ganha força para encarar os patrões”.

Márcio Ayer
Presidente do Sindicato dos Comerciários do Rio de Janeiro, Miguel Pereira e Paty do Alferes

 

Retomada da luta dos comerciários por direitos

Comerciários na luta! Esse é o maior legado da gestão A Hora da Mudança. Com muita mobilização e diálogo com os comerciários, a nova diretoria trouxe o Sindicato para o lado do trabalhador. Com ações na justiça ou na mesa de negociação, a gestão teve posições firmes contra a ganância dos patrões. Essa luta já trouxe melhorias na vida de milhares de trabalhadores do comércio.

Campanhas Salariais:  A gestão encarou o desafio de fazer a primeira campanha salarial dos comerciários. Quem trabalha no comércio ficou quase 50 anos sem esse tipo de mobilização. Foi preciso ir para supermercados, shoppings e lojas e mostrar para os trabalhadores que o tamanho do nosso reajuste depende da mobilização e que era possível conquistar mais se todos estivessem juntos. A cada ano, o Sindicato garantiu reajustes importantes para os comerciários, superando a desconfiança da categoria, a esperança foi falando cada vez mais alto. 

Histórico de lutas

Com a gestão A Hora da Mudança, o Sindicato passou a fazer parte do dia a dia dos trabalhadores. Agora é trabalhador cuidando de trabalhador. Com isso, tivemos um cotidiano intenso de luta em defesa do trabalhador do comércio. Aprendemos, compartilhamos e com as mais variadas situações, nossa diretoria amadureceu e levou seu apoio militante e deu voz aos comerciários em luta por seus direitos.

Hermes: Em recuperação judicial, a Hermes demitiu em massa seus funcionários no Rio. Nenhum deles recebeu sua rescisão nem teve acesso ao Seguro Desemprego e ao FGTS. Com o apoio do Sindicato dos Comerciários do Rio, as trabalhadoras e trabalhadores cobraram da empresa uma solução rápida para o problema que afetou as vidas de 621 famílias.

Lacra caminhão: A operação apelidada de lacra caminhão interrompeu o descarregamento irregular de mercadorias sem carregadores feita pelos próprios vendedores das lojas. Todos estavam sem equipamentos de segurança e muitos deles já tinham ultrapassado em muito a jornada de trabalho. Na Tele-Rio o descarregamento foi feito por volta das 22h, os vendedores estavam desde às 8h da manhã no trabalho. 

Abono de Natal: O Sindicato dos Comerciários do Rio junto com a Federação dos Comerciários Estado do Rio de Janeiro (Fecerj) e seus sindicatos filiados cobraram da Fecomércio o abono de natal para todos os trabalhadores do comércio do Estado. No final de ano, os patrões aumentam seus lucros com as vendas, e os comerciários merecem esse benefício.

 

Bramil: O Sindicato cobrou soluções para uma série de denúncias apresentadas pelos funcionários da empresa em Miguel Pereira e Paty do Alferes, como assédio moral e jornadas excessivas. Após longa negociação, a loja de Miguel Pereira passou a fornecer alimentação diária aos seus funcionários. Quase 250 trabalhadores foram beneficiados, equiparando-se aos seus colegas das lojas de Arcozelo e Granja, que já recebiam almoço regularmente.

 

Dia de luta do comerciário: A Lei 7.396/2016 institui o 18 de junho como Dia Estadual de Luta pela Valorização dos Comerciários, de autoria da deputada Enfermeira Rejane (PCdoB). A data coincide com a divulgação do resultado das eleições que deu vitória à chapa “A Hora da Mudança” nas eleições que tiraram do poder em nosso Sindicato, de forma definitiva, a máfia dos Mata Roma.

 

 

Comerciários de volta pra casa

Recuperamos nossa casa para atender quem trabalha no comércio na defesa dos seus direitos. Agora, os trabalhadores podem contar com uma estrutura modernizada, pronta para atender da melhor forma os comerciários. Não é fácil, ainda há muito a ser feito, mas estamos avançando! 

presidente eleito, Márcio Ayer, e a vice-presidente, Sandra, subiram na sacada da sede para marcar a reconquista da nossa casa. Mesmo com a grande vitória tivemos que lidar com problemas deixados pela era Mata Roma, como dívidas milionárias e imóveis sucateados. Com muito trabalho e dedicação conseguimos recuperar e colocar tudo funcionando. 

Quem roubou foi parar na cadeia

Em outubro de 2014, o Sindicato ficou sob intervenção da Justiça do Trabalho, que tirou Otto Mata Roma da presidência do Sindicato. Com a intervenção judicial, foi descoberto um grande esquema de corrupção envolvendo esses ex-diretores. Em novembro de 2018, a polícia prendeu Otton Mata Roma e outros três ex-diretores do nosso Sindicato. Todos expulsos da entidade pela atual gestão A Hora da Mudança em 2015. 

Os presos são acusados de lavagem de dinheiro e formação de quadrilha, pois lesaram o Sindicato com prejuízos de mais de R$ 100 milhões. Agora, nossa diretoria luta para que quem roubou, devolva cada centavo que foi tirado dos trabalhadores para colocar no próprio bolso. A atual diretoria do Sindicato faz questão de que todos os envolvidos sejam julgados e punidos e devolvam para os comerciários o dinheiro roubado. 

A intervenção judicial que tirou os Mata Roma do Sindicato foi responsável por investigar os prejuízos causados aos cofres da entidade.

Casa arrumada e organizada 

As subsedes e ambulatórios do Sindicato ficaram por décadas abandonados, agora recebem a atenção e o carinho que o comerciário precisa.

Uma grande conquista para os comerciários de Miguel Pereira e Paty do Alferes foi a inauguração da nova sede, que passou a contar com uma ampla gama de serviços médicos e jurídicos. A subsede de Madureira também foi reativada. O espaço estava abandonado . Aos poucos vamos melhorando até que ela esteja totalmente revitalizada. 

O serviço médico e odontológico também passaram por melhorias, sócio do Sindicato têm atendimento odontológico e consultas com médicos especializados gratuitamente. O serviço já melhorou, mas vai ficar melhor ainda. 

 

 

A fazenda dos comerciários, aqui se descansa da luta

Uma das importantes vitórias dessa gestão foi retomar a Fazenda Vila Rica para os comerciários. A Fazenda tinha se tornado um espaço privativo da antiga gestão, que colocou seu nome até mesmo nos azulejos da piscina. Tudo ficou muito danificado, mas aos poucos vamos recuperando o espaço para oferecer ao comerciário uma opção de lazer e descanso.

A Fazenda Ecológica Vila Rica passou a se chamar Fazenda dos Comerciários, para ser uma colônia de férias totalmente voltada para o trabalhador comerciário. Além de diárias super econômicas, com hospedagem e alimentação, a diretoria ainda organiza excursões para que os comerciários possa usufruir deste importante patrimônio do Sindicato.

Coletivo Margaridas – Organizadas e na luta

Lugar de mulher é na luta! Foi com esse espírito que as mulheres da gestão A Hora da Mudança construiu o Coletivo Margaridas para organizar a luta das mulheres comerciárias que sofrem com salários diferente dos homens para cumprir a mesma função, sofrem ainda com o preconceito e também com assédios moral e sexual. 

O Coletivo Margaridas, coordenado pela diretora Rosângela da Silva (em pé, à direita)  leva conscientização para as mulheres sobre seus direitos e luta para que a convenção coletiva de trabalho da categoria atenda as especificidades da mulher trabalhadora. Além de promover atividades como encontro, reunião e rodas de conversas para discutir a luta contra o machismo e a violência de gênero. 

O Coletivo também se destacou nas Campanhas salariais, promoveram encontros, debates e reuniões, roda de conversa e que elevaram a luta da mulher trabalhadora a novos patamares. O Coletivo teve o apoio da União Brasileira de Mulheres (UBM) que atua na luta contra a opressão do machismo e a violência de gênero.

O primeiro encontro da mulher comerciária foi realizado neste ano com uma grande parceria do Sesc Madureira. Palestras e debates fizeram parte da programação que contou ainda com feira de artesanato, feijoada e show do grupo Samba Que Elas Querem, composto somente por mulheres.

Igualdade e respeito para todos!

Desde o início da gestão, o Sindicato valorizou os coletivos de Igualdade Racial e de LGBT, levando aos comerciários a importância da luta por direitos iguais. Realizou a Semana do Charme e da Consciência Negra, com debates e muita música. Da mesma forma, a defesa dos direitos LGBT tem sido pauta deste Sindicato. 

O diretor Marcelo Black (em pé), com os cientistas sociais Mário Theodoro e Newton Oliveira e a diretora Fabiana Carvalho debatendo a racismo no Brasil 

 

Sindicato dos Comerciários na luta contra o preconceito recebe a fundação da UNALgbt.

 

Em defesa dos trabalhadores e do Brasil

Nosso lugar é nas ruas em defesa dos nossos direitos, pela valorização do trabalhador e em defesa da democracia.

Nos últimos anos, governos junto com patrões investiram em um pauta que retira direitos dos trabalhadores e não valoriza o salário. O Sindicato dos Comerciários está sempre presente nas ruas, mobilizando os comerciários em defesa dos trabalhadores e na construção de um Brasil soberano e democrático, com valorização do trabalho, por melhores condições para as famílias, com educação, saúde e segurança públicas e de qualidade.

A reforma trabalhista retirou direitos importantes dos comerciários 

A reforma trabalhista, aprovada em 2017, deixou claro o conluio dos patrões com o então presidente Temer. Apesar das inúmeras mobilizações, o governo conseguiu levar à frente essas mudanças que rasgaram a CLT, legalizando fraudes e destruindo a proteção ao trabalho. Foi também com a intenção de aumentar ainda mais o lucro dos patrões, que Temer criou o decreto que passou a considerar os supermercados como “serviço essencial”. Isso para deixar de pagar as devidas compensações aos comerciários pelo trabalho aos domingos e feriados. 

Nas mais diversas manifestações, o Sindicato denunciou as mazelas do governo Temer, que aprovou a terceirização e a reforma trabalhista, retirando direitos históricos dos trabalhadores.

Comerciário não quer trabalhar até morrer

A proposta de reforma da previdência do governo federal atinge diretamente os comerciários, principalmente os que ganham menos. O governo quer sacrificar os trabalhadores para salvar o país, para dar mais lucro aos sonegadores, banqueiros e as grandes fortunas. O Sindicato foi pras ruas lutar e defender o direito do comerciário se aposentar. Aposentadoria do trabalhador é sagrada. 

Junto com as outras categorias de trabalhadores o Sindicato participou de todas as manifestações em defesa da aposentadoria dos comerciários. 

 

Não é o fim, a luta apenas começou!