Sindicato dos Comerciários do Rio de Janeiro

Menu Menu

Sindicato dos Empregados no Comércio do Rio de Janeiro

Sindicato dos Empregados no Comércio do Rio de Janeiro

Sindicato dos Comerciários do Rio de Janeiro

Notícias

Avança negociação com atacadistas de material de construção

O presidente do Sincomac, Antônio Lopes (à esquerda) durante a reunião com o presidente do Sindicato dos Comerciários, Márcio Ayer (centro) e o diretor jurídico Edson Machado. Imagem: Rafael Rodrigues/ Comerciários

O presidente do Sincomac, Antônio Lopes (à esquerda) durante a reunião com o presidente do Sindicato dos Comerciários, Márcio Ayer (centro) e o diretor jurídico Edson Machado. Imagem: Rafael Rodrigues/ Comerciários

Foi realizada na tarde desta terça-feira (22/11) nova rodada de negociação com o Sindicato do Comércio Atacadista de Material de Construção (Sincomac). A conversa foi produtiva. Após muita resistência, os patrões já aceitam reajustar salários acima da inflação, com aumento de 9,78%, colocando os trabalhadores desse ramo no mesmo patamar de ganho real dos demais comerciários. Os patrões aceitam ainda unificar o piso salarial em R$ 1.104,00 e estabelecer a garantia dos vendedores comissionistas em R$ 1.200,00.

“Sabemos que o momento da economia é difícil, mas não aceitamos negociar nada abaixo da reposição da inflação, pois isso significaria perdas nos ganhos das trabalhadoras e trabalhadores. Felizmente, a negociação já evoluiu bastante e acreditamos que vai ser possível fechar um acordo nos próximos dias. Falta ainda definir algumas questões, como cláusulas sociais em benefício dos trabalhadores que já foram fechadas nos demais segmentos do comércio, mas que os patrões atacadistas ainda estão resistindo em aceitar”, explicou o presidente do Sindicato dos Comerciários do Rio, Márcio Ayer. Ele participou da reunião com o patronal acompanhado do diretor jurídico Edson Machado e de advogados do Sindicato.

A audiência do dissídio dos Comerciários com o Sincomac está marcada para a próxima segunda-feira (28/11) no Tribunal Regional do Trabalho, mas nada impede que as partes cheguem a um acordo e assinem a Convenção Coletiva de Trabalho 2016/2017 antes desta data.