Sindicato dos Comerciários do Rio de Janeiro

Menu Menu

Sindicato dos Empregados no Comércio do Rio de Janeiro

Sindicato dos Empregados no Comércio do Rio de Janeiro

Sindicato dos Comerciários do Rio de Janeiro

Notícias

Assinado o acordo que assegura o emprego de 4500 trabalhadores do Guanabara

O acordo, aprovado em assembleias realizadas no dias 10, 11 e 12 de março, foi assinado com o Guanabara e vale até 15 de março de 2022. Após diversas reuniões de negociação, o acordo impediu a demissão de 4.500 trabalhadores e trabalhadoras, além de garantir benefícios importantes.

“Foram muitas reuniões de negociação, que envolveram a Superintendência Regional do Trabalho, Sindicato e patrões. Ao final, com muita pressão, o Guanabara recuou e decidiu não demitir mais 4.500 comerciários e comerciárias. Além disso, garantimos no acordo alguns benefícios, que mesmo não sendo o ideal, diminuem o impacto das maldades do governo federal através das últimas medidas provisórias”, destaca Márcio Ayer, presidente do Sindicato dos Comerciários do Rio.

“Fizemos assembleias lotadas de comerciários e comerciárias, que entenderam o momento que atravessamos e aprovaram este acordo que agora foi assinado. Precisamos de todos para que ajudem a fiscalizar os benefícios e as mudanças aprovadas”, afirma Márcio Ayer.

Veja os principais pontos aprovados:

– O Guanabara tem o prazo de 60 dias, a partir de 9 de abril, para fornecer a cesta básica mensal através de cartão no valor de R$ 100,00, para ser utilizado em qualquer supermercado Guanabara. O pagamento segue as regras já adotadas pelo supermercado, que já praticava o valor de venda. 

– Caso o Guanabara volte a funcionar aos domingos, quem trabalhar neste dia receberá o valor de R$ 55,00 creditado no cartão, para ser utilizado no Guanabara. Vale lembrar que desde o decreto do presidente Temer, que tornou os supermercados serviço essencial, as empresas deixaram de ser obrigadas a pagar o 100% nos domingos, que era feito apenas por uma decisão do supermercado. 

-No caso de volta aos domingos, o repouso semanal remunerado obedecerá a proporção de 6X1, ou seja, o dia correspondente ao repouso deverá ser obrigatoriamente concedido na própria semana, e a cada dois domingos trabalhados, o terceiro corresponderá à folga semanal e coincidirá com um domingo.

-Para os trabalhadores com mais de 12 meses de supermercado, as homologações serão feitas no Sindicato para garantir e fiscalizar as demissões. O Guanabara diminuiu as demissões para até 1.500 funcionários, que já corresponde a média anual. 

– Quem trabalhar nos feriados fica garantido um vale compras, através de cartão, no valor de R$ 60,00, para ser utilizado em qualquer Guanabara, além de ter garantido uma folga compensatória em até 30 dias contados do feriado trabalhado. Apenas nos meses de abril e novembro, as folgas poderão ser concedidas em até 60 dias.Caso ultrapassados os prazos previstos para concessão da folga ficará o empregador obrigado ao pagamento do dia trabalhado, em dobro.

Por conta das medidas do governo federal aos domingos e feriados, tornando esses dias como qualquer outro. O Guanabara vinha pagando os 100% no feriado, porém sem ser obrigado. A nossa convenção coletiva determina o pagamento de R$ 36,77 por feriado trabalhado. 

– Em caso do feriado cair aos domingos, os trabalhadores receberão somente o vale compras no valor de R$ 60,00.

-Os valores creditados no cartão são cumulativos.

– As folgas correspondentes ao trabalho em feriados não se confundem com o repouso semanal remunerado.

Jornada 12×36

No caso da jornada 12×36, o Sindicato garantiu alguns direitos em favor dos trabalhadores,  que não estão previstos na reforma trabalhista aprovada em 2017: 

-O acordo assinado autoriza o Guanabara a implementar a jornada de 12×36 após 120 dias contados da assinatura deste acordo.

-Os trabalhadores que passarem para a jornada 12×36 terão garantia de emprego por 12 meses, contados a partir da data de alteração. 

– Quem estiver nesta jornada e o dia de trabalho cair no feriado receberá o vale compras de R$ 60.

–  O horário de almoço está incluído nas 12 horas de trabalho.

– Não haverá hora-extra nesta jornada.

Nem todos os setores de supermercado mudarão para a jornada 12×36. Essa decisão caberá ao supermercado.

– O valor/hora de trabalho é o mesmo para quem tem contrato de 220 horas. Porém, nesta jornada o número de horas trabalhadas é menor e o salário será proporcional.

Leia também: Comerciários do Guanabara aprovam acordo