Sindicato dos Comerciários do Rio de Janeiro

Menu Menu

Sindicato dos Empregados no Comércio do Rio de Janeiro

Sindicato dos Empregados no Comércio do Rio de Janeiro

Sindicato dos Comerciários do Rio de Janeiro

Notícias

Assinadas Convenções dos comerciários de Miguel e Paty

Foram assinadas na última sexta-feira (10/11) as Convenções Coletivas de Trabalho (CCTs) para reger as relações entre as empresas e trabalhadores no comércio de Miguel Pereira e Paty do Alferes no biênio 2017/2018. Negociada entre o Sindicato dos Comerciários e o patronal Sicomércio, a CCT Salarial estabelece reajuste de 4% nos salários. O piso geral e a garantia mínima dos comissionistas passam a ser de R$ 1.245. O aumento é retroativo à data base da categoria, em maio, e deverá ser pago junto com o salário de novembro, até o quinto dia útil de dezembro.

A Convenção definiu ainda os valores reajustados de todos os demais direitos econômicos dos trabalhadores, como o piso de experiência em R$ 1.019, a quebra de caixa em R$ 42 e a ajuda de custo dos comissionistas em R$ 27. Empresas até 50 funcionários dentre os quais 30 ou mais sejam mulheres deverão pagar R$ 190 de auxílio creche, por 12 meses, a todas as funcionárias com filhos de até cinco anos de idade. Nas empresas com mais de 50 funcionários o valor sobe para R$ 210.

O aumento de 4% conquistado pelo Sindicato nos protege de perdas para a inflação (3,99% nos 12 meses anteriores à data-base, em maio, segundo o INPC/ IBGE). Também conseguimos evitar alguns efeitos perversos das reformas do Temer. “A negociação demorou mais do que gostaríamos porque, além das dificuldades de sempre, os patrões queriam impor a abertura das lojas no Natal, Ano Novo e do Dia do Comerciário. É claro que o Sindicato não aceitou e fomos pra briga. Mobilizamos os comerciários da região e até os clientes dos mercados se solidarizaram com a causa”, comentou o presidente do Sindicato dos Comerciários do Rio, Miguel Pereira e Paty do Alferes, Márcio Ayer.

Domingos e feriados – As CCTs assinadas com o Sicomércio também possuem cláusulas que exigem oferta de água potável aos trabalhadores e melhoria das condições de higiene do local de trabalho. Fixam ainda as regras para as jornadas aos domingos e feriados, incluindo o pagamento de lanche de R$ 18, bem como o adicional de 100% e a folga extra no caso dos feriados.