Sindicato dos Comerciários do Rio de Janeiro

Menu Menu

Sindicato dos Empregados no Comércio do Rio de Janeiro

Sindicato dos Empregados no Comércio do Rio de Janeiro

Sindicato dos Comerciários do Rio de Janeiro

Notícias

Após pressão, Andarella aceita pagar salários atrasados

DSC_3273

O presidente Márcio Ayer, o diretor Antônio Jr e os advogados do Sindicato em mediação com a Andarella na Superintendência Regional do Trabalho e Emprego | Foto: Diego Cotta/Comerciários

A novela com a Andarella ainda não acabou, mas já há avanços! Depois de o Sindicato denunciar inúmeras irregularidades e travar uma luta no Ministério do Trabalho e Emprego com a empresa,  ela firmou um termo compromisso na tarde desta segunda-feira (25) na Superintendência Regional do ministério. Após ter consultado comerciárias da Andarella, que de forma espontânea e combativa chamaram atenção para as barbaridades denunciadas, ficou acertado que todas as trabalhadoras das lojas terão seus salários pagos integralmente até o dia 15 de maio. No mês de junho, receberão até o dia 10; e, em julho, os pagamentos serão efetuados até o quinto dia útil do mês. Além disso, os pagamentos não poderão ser feitos em cheque.

“Estamos aqui para representar as trabalhadoras, por isso a gente se engajou na luta delas que é nitidamente legítima, por busca de seus direitos. Fizemos questão de visitá-las nas lojas e perguntar a elas se aceitavam a proposta da empresa. Agora é monitorar se os pagamentos serão realizados em dia na conta das funcionárias. E sem essa de pagamento em cheque”, explica o presidente Márcio Ayer, que estava presente na negociação juntamente com o diretor Antônio Jr e advogados.

O acordo também trata sobre os pagamentos de quem trabalha no escritório da Andarella. O compromisso da empresa é: quem ganha até R$ 6 mil, que está recebendo depois do mês de vencimento, vai passar a receber até o dia 25, a partir do mês de julho. “Iremos ficar de olho se os pagamentos serão realizados. Também já está marcada uma nova reunião para o dia 13 de julho para tratarmos do efetivo pagamento e reiniciar as negociações para a regularização do pagamento aos trabalhadores do escritório”, finalizou o diretor Antônio Jr.